Jungle Sessions: Casuarina’s UK debut

Since 2001, when they emerged on Rio’s new bohemian scene, the sound of Casuarina has come to be described as samba, in brand new clothes. But what draws people to their music isn’t the band members wearing t-shirts and playing rounds of samba on Rio’s stages, but rather seeing young musicians, who grew up influenced by rock and various other styles of music, reopening the doors of classic Brasilian music and presenting these gems to the new generations.

In that spirit of cultural revival, Jungle invited the band to launch their latest album, MTV apresenta Casuarina, here in London. The launch, on 26th May and at Guanabara, will kick-start Jungle Sessions, a new project for 2010 developed in partnership with TAP Portugal and the Brasilian venue, this being the first of a series of events set to take place throughout the year.

A great many of the compositions on the CD are covers of music from the end of the 20th century. ‘O Dia se Zangou’ (Mario Diniz-Ratinho), for example – made famous by the voice of Jovelina Pérola Negra – was destined to be forgotten, but is now being resurrected and embraced in Casuarina’s repertoire. Percussionist and singer Gabriel Azevedo spelled it out “we wanted to bring back the feeling of old-school samba, but with a modern touch”.

May 26th, 7pm, £7 adv / £10 door
Guanabara, Parker Street – WC2B 5PW
Buy tickets at: wegottickets.com

Check out our interview with Casuarina and review of their album below – content only in Portuguese!

A banda Casuarina, criada em 2001, saiu do campo universitário da Unirio para tocar samba nas noites boêmias da Lapa, reduto musical carioca. Ouvindo a história do Casuarina, parece que a trajetória de sucesso que se seguiu desde então foi tão natural que não havia outro destino para o talento dos cinco músicos que compõem o grupo. Eles já lançaram três álbuns, fazem shows por todo o Brasil e  chegam a Londres no final deste mês para o seu primeiro show na capital britânica.

Outra novidade boa é que eles vêm para abrir a Jungle Sessions, nossas noites mensais no Guanabara. Enquanto o grande dia não chega, as cinzas vulcânicas estão se assentando pelo mapa e deixando o caminho livre para Daniel Montes (violão sete cordas), Gabriel Azevedo (voz e percussão), João Cavalcanti (voz e percussão), João Fernando (bandolim e vocais) e Rafael Freire (cavaquinho) aterrizarem por aqui. Nesta entrevista exclusiva, Gabriel Azevedo fala sobre a trajetória da banda.

JungleDrums: Como começou a história do Casuarina?
Gabriel  Azevedo: Éramos todos estudantes de música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a Unirio. Tocávamos juntos. No final do curso, decidimos fazer um show e, desde então, não paramos. Acho que tocar na Lapa, reduto boêmio do Rio que frequentamos há muitos anos, deu bastante visibilidade ao nosso trabalho. Lembro que fazíamos roda de samba toda terça no Semente, bar onde bandas respeitadas se apresentavam. A partir de 2001, oficializamos o nascimento da banda e quatro anos depois gravamos nosso primeiro CD.

Conta um pouco sobre a gravação do primeiro álbum?
Foi uma ótima experiência. Nosso primeiro CD foi gravado pela Biscoito Fino, gravadora carioca que já produziu discos para músicos como Maria Betânia e Chico Buarque. O CD foi chamado Casuarina e saiu em 2005. No repertório, incluímos Nelson Cavaquinho, Zé Ketti, Sidney Miller, Jackson do Pandeiro, entre outros grandes nomes. Diferentemente, o nosso segundo disco foi um trabalho mais autoral. Das 14 faixas, dez foram composições próprias. Certidão foi a faixa que deu nome ao CD e A Roda não morreu foi tema do primeiro videoclip. Nós cinco vimos que as coisas estavam dando certo e decidimos nos dedicar cada vez mais.

O terceiro e mais recente CD foi o resultado de um projeto com a MTV. O que vocês acharam da experiência?
Ótima. Temos uma relação muito boa com a equipe da MTV. Acredito que as longas horas que trabalhamos para gravar o “MTV apresenta: Casuarina” foram gratificantes. Tivemos convidados super especiais  no CD e no DVD. Moska, Roberto da Silva e Frejat enriqueceram bastante o resultado. O álbum foi gravado em maio do ano passado e o lançamento aconteceu no final do ano. Mais e mais pessoas agora sabem quem somos.  Fizemos turnês por diversas cidades do Brasil e agora chegou a hora de apresentar  MTV apresenta na Europa. Passaremos pela Inglaterra, França, Holanda e Bélgica. Estamos muito felizes com o resultado. Este é um bom momento para o Casuarina.

Apesar de terem músicas autorais, grande parte do repertório é composto por regravações de clássicos. Vocês pretendem continuar este resgate do samba do final do século XX?
Acreditamos que resgatar os artistas negligenciados e o sentimento presente no samba antigo é algo legítimo. É uma honra para todos nós do Casuarina. Já tocamos com quase todos os músicos que queríamos. Nossa última seleção incluiu sucessos do final do século XX com arranjos modernos. Cabelos brancos (Herivelto Martins e Marino Pinto) e O dia se zangou (Mauro Diniz e Ratinho) são exemplos disso.

Que tipo de influências, fora do samba, você acredita que estão presentes na banda?
É difícil listar porque cada um de nós cinco tem uma bagagem musical diferente e ouvimos estilos variados. João Cavalcanti, por exemplo, cresceu ouvindo o grupo inglês The Police. Tenho certeza que hoje ele carrega resquícios da influência do Sting na voz.  As fontes de inspiração vão aparecendo. Já interpretamos Velho Bandido, de Sérgio Sampaio, um artista super Rock ‘n’ roll.

O quinteto está ansioso para a turnê que começa mês que vem na Europa?
Estamos super ansiosos. Esta será a terceira vez que nos apresentamos na Europa. A primeira foi em 2005 e a segunda 2009. Apesar disso, faremos nosso primeiro show em Londres este ano. É interessante observar que, no exterior, nosso público é formado por mais 70% de brasileiros quando tocamos nas capitais e o inverso acontece quando tocamos em cidades menores, principalmente, em festivais de música. A recepção ao nosso trabalho é sempre boa. Os europeus são abertos a músicas de vários lugares do mundo. Acho que nossa estréia em Londres será contagiante.

MTV Apresenta: Casuarina

O álbum “MTV apresenta: Casuarina”, lançado no Brasil em 2009, traz sambas clássicos que há tempos não recebiam a atenção da indústria fonográfica. O repertório agrupa composições importantes da história da música brasileira incluindo Cabelos brancos (Herivelto Martins e Marino Pinto) e O dia se zangou (Mauro Diniz e Ratinho).

Convidados ilustres participaram da gravação do cd. Moska conduziu os versos imperativos da Cabelos Brancos, Roberto Silva – orgulhosamente – cantou Jornal da Morte e Frejat soltou a voz em Já fui uma brasa. Casuarina incorporou arranjos modernos e diferentes vocais as 14 faixas do álbum.

“MTV apresenta: Casuarina” foi lançado pela Sony, enquanto os dois primeiros cds da banda – Casuarina e Certidão – foram produzidos pela gravadora carioca Biscoito Fino. A entrada de uma grande gravadora na jogada com certeza aumentou a popularidade do grupo.

Depois de oito meses de divulgação no Brasil, os integrantes do Casuarina estão prontos para iniciar a turnê internacional. A banda desembarca em Londres mês que vem para inaugurar Jungle Sessions. Logo em seguida, vai para Paris, onde lançarão o novo trabalho a pedido da Sony França. Deixando a terra do presidente Nicolas Sarkozy, os cariocas seguem para Holanda e Bélgica antes de retornarem aos palcos do Brasil.

By Fabiana Reis

Leave a Reply